A Beleza e suas novas medidas

Mulher Corpo de Violão, se tornou uma obsessão para muitas mulheres que levadas pelos novos padrões impostos pelas mídias faz com que os valores como pessoas sejam vistos apenas em medidas corporais como para ser “perfeita” tem que ter pernão, bundão, peitão, rosto com traços perfeitos. Buscando um padrão estético que muitas vezes fogem do seu biótipo. Esses mulherões muitas vezes sofrem de uma fragilidade emocional e fazem do próprio corpo um esconderijo para as suas frustrações.
Nos últimos dias a mídia destacou o caso de uma jovem modelo que ultrapassou todos os limites em busca da “perfeição” o que levou a jovem a não se preocupar nem com a própria saúde, pois mesmo se submetendo a vários procedimentos cirúrgicos. Ela ainda fazia o uso de anabolizantes para o aumento das medidas das cochas e usava medicamentos tarja preta para conseguir dormir à noite. Mesmo com todos estes abusos, ela ainda não se sentia feliz com o seu corpo. E no seu último procedimento estético para a correção de uma pequena marca de expressão, conhecida como bigode chinês, à mesma teve uma parada cardiorrespiratória o que causou a sua morte aos 28 anos.  Neste caso a busca exagerada pela beleza se tornou em tragédia.
O Brasil liderava o ranking mundial em cirurgias plásticas, com mais de 1,5 milhão de operações por ano. Sendo as mulheres responsáveis por 88% das operações estéticas. Mas o ano passado perdeu o primeiro lugar para os Estados Unidos. Só que esse fato não se deu por conta de conscientização não, mais sim por conta da crise financeira que se encontra o nosso país. As pessoas ainda esquecem que os riscos de optarem pelo bisturi em favor da estética são semelhantes aos de qualquer outro procedimento que envolva anestesia geral.
 E essa busca constante pela perfeição escraviza algumas pessoas, que de forma desmedida, perdem o conceito do que é seguro. Achando que a cirurgia pode resolver problemas amorosos, problemas de emprego, e da própria aceitação. 
O que tem se tornado mais comum entre as mulheres que estão fazendo do seu tempo um ritual, para à construção de uma imagem corporal, que se encaixe bem no espelho, e isso tem um custo alto, pois são dietas cada vez mais restritas e treinos exaustivos nas academias. O culto ao corpo cresce de forma desenfreada, mudando o comportamento e as relações humanas, onde o próprio caráter se tornou segundo plano, em uma sociedade que julga e mede a sua beleza em uma fita métrica.
Então cuidado você que anda seguindo essa “ditadura do corpo perfeito”, que impõe a regra da barriga negativa, da perna e do bumbum que não balançam, não esteja fazendo você esquecer que a felicidade e o amor próprio não são vendidos em farmácias, academias e que a cama cirúrgica não é o melhor lugar para descansar e deixar os seus problemas. Pois um corpo saudável precisa de uma mente sã para ser comandado.

Comentários

Notícias Relacionadas