RIVALIDADE HISTÓRICA: Treze e Campinense entram em campo para disputar 403º Clássico dos Maiorias da história

Dois times, um sonho pela vitória e duas torcidas apaixonadas que quase entram em êxtase, quando a sua equipe faz um gol, e sai de campo triunfando.  

A maior rivalidade do futebol paraibano entra em campo neste domingo no primeiro Clássico dos Maiorais do ano. Será o jogo 403 da história. E promete ser mais um clássico de arrepiar, teste para cardíaco que deve sacudir as arquibancadas do Estádio O Amigão,

 

Em campo estarão 36 títulos estaduais, sendo 21 conquistados pela Raposa contra 15 pelo Galo. O rubro-negro também carrega em seu histórico de conquistas, o título da Copa do Nordeste 2013. A partida, válida pela 5ª rodada do Estadual, acontece às 16h no estádio O Amigão, e terá torcidas divididas. A torcida do alvinegro, ficará no lado da arquicanbada sombra, enquanto que a torcida do rubro-negro, ficará no lado da arquicancada sol.

 

Mais uma vez a cidade estará dividida com cores diferentes. O vermelho e preto da Raposa, e o preto e branco do Galo, tomarão conta da Rainha da Borborema, neste domingo de clássico.

 

Os dois times vivem situações diferentes na tabela no Campeonato Paraibano. A Raposa comandada por Celso Teixeira, é líder do grupo A com 12 pontos, e 100% de aproveitamento. Já o Galo é ocupa a 3ª posição no Grupo B com 5 pontos e 41.7% de aproveitamento.


Uma das atrações, estará na beira do campo comandando suas equipes. Do lado do Treze, mandante do clássico, estará o técnico Oliveira Candindé, que em 2013, conquistou o título da Copa do Nordeste pelo Campinense. Do lado da Raposa, o destaque é o “inquieto” Celso Teixeira, que no ano passado, comandou o alvinegro. O Galo vem de uma derrota no meio de semana para o Sousa no PV, enquanto a Raposa vem de um triunfo diante do Serrano, o que garantiu a sua invencibilidade na competição.

Para esse duelo, o técnico Celso Teixeira, terá a força máxima e poderá contar inclusive com o atacante Rodrigo Silva, um dos artilheiros do time ao lado de Muller Fernandes, que está suspenso. Muller Fernandes atuou na vitória da Raposa contra o Serrano, e deve ser confirmado no time titular.É que o meia Jean Carlos e o centroavante Rodrigo Silva treinaram normalmente e estão liberados pelo Departamento Médico para encarar o Treze neste  domingo.

Contratado por empréstimo e apresentado no último domingo como reforço do Campinense para a disputa do Campeonato Paraibano, o atacante Tiago Mandi pode, de cara, ganhar uma oportunidade no time titular da Raposa, já no Clássico dos Maiorias.

 

Já no Treze, o técnico Oliveira Canindé deverá mandar a campo a força máxima, escalando inclusive os jogadores que foram poupados na derrota para o Sousa. Uma das armas do Galo, é o atacante Reinaldo Alagoano, que no ano passado vestiu a camisa da Raposa. Ele perdeu um pênalti no Clássico Tradição do último domingo, e pretende se redimir no Clássico dos Maiorais.

 

Treze e Campinense sempre fizeram um jogo muito disputado, e em muitos jogos, decididos no detalhe. As estatísticas são favoráveis ao alvinegro em mais de 50 anos de uma rivalidade histórica.

Dos 402 confrontos, o Treze venceu 136 vezes, contra 107 do Campinense. O empate de ontem foi o de número de 160, resultado que vem se repetindo algumas vezes nos últimos confrontos e que responde pela maioria dos duelos. 


Na artilharia dos Maiorais, a vantagem também é trezeana: até agora, são 495 gols a favor do Alvinegro, contra 447 para o Rubro-Negro. Já com relação a número de títulos conquistados em cima do rival, a vantagem é da Raposa, que ganhou oito campeonatos paraibanos em cima do Treze, sendo que só perdeu três finais para o Galo.

 

No ano passado, os Maiorias se enfrentaram quatro vezes, sendo que o alvinegro venceu um confronto e quebrou um tabu de 13 jogos sem perder para o maior rival. As outras três partidas terminaram empatadas. O tabu durou quase quatro anos. Na história, o maior período de invencibilidade de um contra o outro foi registrado na década de 1970, quando a Raposa passou 25 jogos sem ser derrotada pelo Galo.

A rivalidade entre Campinense e Treze pode ser medida em jogos válidos pelo Campeonato Paraibano. Até o momento, os dois clubes se enfrentaram 227 vezes no Estadual. A vantagem também é do Treze. Ao todo, o Galo venceu 72 partidas, contra 69 triunfos da Raposa.

 

A rivalidade entre Campinense e Treze no Paraibano, se mede no número de empates. Os dois terminaram a partida em igualdade no placar 96 vezes.  O Galo marcou 255 gols conta 241 da Raposa. Neste domingo, seja qual for o resultado final, os números das estatísticas sofrerão alterações.

 

Ficha Técnica:

Treze: Saulo, Ferreira, Leonardo Luiz, Ítalo e Rayro; Alberto, Elielton, Dedé e Tininho; Júlio Barboza e Reinaldo Alagoano  (Edinho Canutama) Técnico: Oliveira Canindé.


Campinense:Jeferson, Alex Murici, William Goiano, Rafael Araújo e Jackinha (Thiaguinho); Rafael Jensen, Fernando Pires, Marcelo Silva e Marcinho (Tarcísio); Muller Fernandes (Tiago Mandi) e Thiago Potiguar. Técnico – Celso Teixeira

 

Severino Lope

PB Agora

Comentários