Cerca de 70% dos brasileiros atrasaram alguma conta em 2017, segundo SPC

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revela que sete em cada dez brasileiros (70%) deixaram de pagar ou pagaram com atraso pelo menos uma conta em 2017.

As contas mais comprometidas no ano passado foram: cartão de crédito (39%), plano de internet (28%) e plano de celular e/ou telefone fixo (26%).

De acordo com o levantamento, quase metade dos brasileiros (47%) estão ou tiveram nos últimos 12 meses o nome incluído em algum serviço de proteção ao crédito, sobretudo entre as classes C, D e E (50%).

Segundo o último índice de inadimplência divulgado pelo SPC Brasil e CNDL, cerca de 39% da população brasileira adulta está registrada em listas de inadimplência. Segundo o educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli, o endividamento não deve impedir a pessoa de pagar todas as suas contas fixas, caso contrário, corre o risco de resultar em inadimplência.

“Além disso, é recomendável poupar uma parte dos ganhos e deixar uma quantia para arcar com as despesas variáveis do mês. E sempre que o consumidor se vir obrigado a pagar juros, o certo é recorrer à reserva financeira ou fazer atividades extras para aumentar a renda e se livrar dessa situação o mais rápido possível”, orienta.

Oito em cada dez brasileiros mudam a forma de administrar os gastos após serem negativados

Dos entrevistados que já estiveram com nome sujo pelo menos uma vez nos últimos 12 meses, 80% garantem ter mudado alguma atitude na forma de administrar as finanças.

As principais medidas foram controlar todos os gastos (49%), pensar melhor antes de comprar algo (39%), comprar somente quando puder pagar à vista (34%), passar a economizar para lidar com imprevistos (32%), evitar o uso do cartão de crédito (28%), não emprestar o nome para terceiros (23%) e cancelar o cartão de crédito (17%).

Somente 24% sabem ao certo o que é estar endividado

De acordo com o estudo, 43% das pessoas se consideram endividadas no momento. Apesar disso, o estudo revela que 71% não sabem, de fato, o que significa estar endividado. Para 43% dos entrevistados, uma pessoa com dívidas é aquela que tem contas em atraso ou sem pagar. Três em cada dez (28%) disseram que está endividado quem possui o nome registrado em entidades de proteção ao crédito, e apenas 24% sabem que uma pessoa endividada é aquela que possui parcelas a vencer ou empréstimos feitos.

“Sempre que alguém faz uma compra no cartão de crédito, até mesmo em uma única parcela, está assumindo uma dívida. O mesmo ocorre com carnês de lojas ou financiamentos. Não há problema nisso, desde que o consumidor esteja no controle e não ultrapasse suas condições de arcar com o pagamento das prestações acordadas”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. “Do contrário, em pouco tempo se pode passar de endividado a devedor, o que é bem diferente, pois pode gerar negativação e aumento desproporcional dos valores a pagar, pelos juros embutidos”, avalia.

Metodologia

Foram entrevistados 805 consumidores acima de 18 anos, de ambos os gêneros e de todas as classes sociais nas 27 capitais. A margem de erro é de no máximo 3,5 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%.

 

MaisPB

Comentários